Abundância, Distribuição Espacial de Ninhos de Abelhas Sem Ferrão (Apidae: Meliponini) e Espécies Vegetais Utilizadas para Nidificação em um Fragmento de Floresta Secundária em Rio Branco, Acre

Francisco Cildomar da Silva Correia, Rui Carlos Peruquetti, Marcos Gonçalves Ferreira, Yuri Karaccas de Carvalho

Resumo


Foi realizado estudo de abundância e distribuição de ninhos de abelhas sem ferrão (Apidae: Meliponini) e espécies vegetais utilizadas para nidificação em um fragmento de floresta secundária em Rio Branco-Acre. Os levantamentos de campo ocorreram no mês de agosto de 2015, em uma área de floresta medindo 137 ha. Os substratos de nidificação (árvores) foram identificados e sua localização registrada por GPS, sendo também verificadas as medidas de CAP (circunferência à altura do peito) e altura da entrada dos ninhos em relação ao solo. No total, foram encontrados 25 ninhos de abelhas sem ferrão distribuídos em três gêneros, sendo Melipona eburnea Friese a espécie mais abundante (n=14), seguida por Scaptotrigona sp. (n=7), Melipona crinita Moure & Kerr (n=2)e Tetragona sp. (n=2). As espécies botânicas que mais forneceram cavidades para fundação dos ninhos foram Eugenia jambolana Lam. (Myrtaceae) com sete ninhos (28%) em um único indivíduo, seguida por Spondias lutea L. (Anacardiaceae) e Castilla ulei Warb. (Moraceae), ambas com três ninhos (12%). A densidade de ninhos foi consideravelmente baixa (0,18 ha) quando comparada com outros estudos realizados na região neotropical, o que pode estar relacionado com tamanho do fragmento e o grau de perturbação já que se caracteriza por ser uma floresta em processo de regeneração.

Abundance and Spatial Distribution of Nests of Stingless Bees (Apidae: Meliponini) and Plant Species Used in the Nesting in Secondary Forest Fragment in Rio Branco-Acre

Abstract. Was conducted a study of the abundance, distribution of bee nests stingless (Apidae: Meliponini) and plant species used for nesting in a fragment of secondary forest in Rio Branco-Acre. The field surveys took place in August 2015 in a forest area measuring 137 ha. The nesting substrates (trees) were identified and their location recorded by GPS, and also checked the CAP measures (circumference at breast height) and height of entry of the nests from the ground. In total, we found 25 nests of stingless bees distributed in three genera, with Melipona eburnea Friese the most abundant species (n=14), followed by Scaptotrigona sp. (n=7), Melipona crinita Moure & Kerr (n=2) and Tetragona sp. (n=2). The botanical species most provided cavities for foundation of the nests were Eugenia jambolana Lam. (Myrtaceae) with seven nests (28%) in an only individual, followed by Spondias lutea L. (Anacardiaceae) and Castilla ulei Warb. (Moraceae), both with three nests (12%). The density of nests was significantly lower (0.18/ha) when compared to other studies in the Neotropics, which may be related to fragment size and the degree of disturbance since it is characterized by being in a forest regeneration process.


Palavras-chave


Palavas-chave: Dinâmica de nidificação; Floresta em processo de regeneração; Fauna de abelhas; Levantamento de ninhos; Substratos.

Texto completo:

PDF

Referências


Antonini, Y. & R. Martins, 2003. The value of a tree species (Caryocar brasiliense) for a stingless bee Melipona quadrifasciata quadrifasciata. Journal of Insect Conservation, 7:167-174.

Aquino, F.G., Walter, B.M. T & J.F. Ribeiro, 2007. Woody community dynamics in two fragments of “cerrado” stricto sensu over a seven-year period (1995-2002), MA, Brazil. Revista Brasileira de Botânica, 30:113-121. doi: http://doi.org/10.1590/s0100-84042007000100011.

Batista, M.A., Ramalho, M & A.E.E.Soares, 2003. Nesting sites and abundance of Meliponini (Hymenoptera: Apidae) in heterogeneous habitats of the Atlantic Rain Forest, Bahia, Brazil. Lundiana, 4, 19-23.

Camargo, J.M.F & S.R.M. Pedro, 2013. Meliponini Lepeletier, 1836. In: Moure, J.S., D. Urban & G.A.R. Melo, 2008. (Orgs). Catalogue of Bees (Hymenoptera, Apoidea) the Neotropical Region [versão online]. Disponível em: . [Acesso em: 23.v.2016].

Camargo, J.M.F., 1970. Ninhos e biologia de algumas espécies de Meliponídeos (Hymenoptera: Apidae) da região de Porto Velho, Território de Rondônia, Brasil. Revista de BiologiaTropical, 16: 207-239.

Cane, J.H., 2001. Habitat fragmentation and native bees: a premature verdict? Conservation Ecology, [s.l.], 5: 1. Disponível em: . [Acesso em: 30.v.2016].

Carvalho, C.A.L. & L.C. Marchini, 1999. Abundância de ninhos de Meliponinae (Hymenoptera: Apidae) em biótopo urbano no município de Piracicaba-SP. Revista de Agricultura, 74: 35-44.

Eltz, T., C.A. Brühl, S.V.D. Kaars & K.E. Linsenmair, 2002. Determinats of stingless bee nest density in lowland dipterocarp forests of Sabah, Malaysia. Oecologia, 131: 27-34. doi: http://doi.org/10.1007/s00442-001-0848-6.

Eltz, T., C.A. Brühl, Z. Imiyabir & K.E. Linsenmair, 2003. Nesting and nest trees of stingless bees (Apidae: Meliponini) in lowland dipterocarp forests in Sabah, Malaysia, with implications for forest management. Forest Ecology and Management, 172: 301-313. doi: http://doi.org/10.1016/s0378-1127(01)00792-7.

Fowler, H.G., 1979. Responses by a stingless bee to a subtropical environment. Revista de Biologia Tropical, 27: 11-118.

Hammer O., D.AT. Harper & P.D. Ryan, 2001: PAST: Paleontological Statistics software package for education and data analysis. Palaeontologica Electronica, 4: 9 p.

Henriques, R.P.B., 1997. Nest density of Trigona spinipes (Hymenoptera Apidae) in cerrado vegetation of central Brazil. Revista de Biologia Tropical, 45: 700-701.

Hubbell, S.P. & L.K. Johnson, 1977. Competition and nest spacing in a tropical stingless bee community. Ecology, 58: 950-963. doi: http://doi.org/10.2307/1936917.

Kerr, W.K., Carvalho, G.A & V.A. Nascimento, 1996. Abelha uruçu: biologia, manejo e conservação. Coleção manejo da vida silvestre. Belo Horizonte, Fundação Acangaú, 154 p.

Michener, C.D., 1946. Notes on the habits of some Panamanian stingless bees (Hymenoptera, Apidae). Journal of the New York Entomological Society, 54: 179-197.

Moure, J.S. & W.E. Kerr, 1950. Sugestões para a modificação da sistemática do gênero Melipona. Dusenia 1: 105-29.

Nogueira-Neto, P., 1997. Vida e Criação de abelhas Indígenas sem Ferrão. 3ª ed. São Paulo: Nogueirapis, 445 p.

Nogueira-Neto, P., V.L. Imperatriz-Fonseca, A. Kleinert-Giovannini, B.F. Viana & M.S. Castro, 1986. Biologia e manejo das abelhas sem ferrão. São Paulo: Editora Tecnapis, 54 p.

Oliveira, M.L., Morato, E.F & M.V.B. Garcia, 1995. Diversidade de espécies e densidade de ninhos de abelhas sociais sem ferrão (Hymenoptera, Apidae, Meliponinae) em floresta de terra firme na Amazônia Central. Revista Brasileira de Zoologia, 12: 13-24. doi: http://doi.org/10.1590/s0101-81751995000100004.

Pedro, S.R.M., 2014. The Stingless Bee Fauna In Brazil (Hymenoptera: Apidae). Sociobiology 61: 348-354. doi: http://doi.org/10.13102/sociobiology.v61i4.348-354.

R Development Core Team, 2013. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. ISBN 3-900051-07-0. Disponível em: .

Rêgo, M. & C. Brito, 1996. Abelhas sociais (Apidae: Melipinini) em um ecossistema de cerrado S.L. (Chapadinha - MA, BR): Distribuição dos ninhos. In: Encontro Sobre Abelhas, 2, Ribeirão Preto, SP. Anais... Ribeirão Preto, SP, 238-247.

Roubik, D.W., 1983. Nest and colony characteristics of stingless bees from Panama (Hymenoptera: Apidae). Journal of the Kansas Entomological Society, 56: 327-355.

Roubik, D.W., 1989. Ecology and natural history of tropical bees. Cambridge University Press, Cambridge, 514 p.

Sakagami, S.F., 1982. Stingless bees, p. 361-423.. In: Hermann, H.R. (ed.). Social insects, v. 3. NewYork: Academic Press. XX p.

Serra, B.D.V., Drummond, M.S., Lacerda, L.M. & I.P. Akatsu, 2009. Abundância, distribuição espacial de ninhos de abelhas Meliponina (Hymenoptera, Apidae, Apini) e espé¬cies vegetais utilizadas para nidificação em áreas de cerrado do Maranhão. Iheringia, Série Zoologica, 99: 12-17. doi: http://doi.org/10.1590/s0073-47212009000100002.

Silva, M.D. & M. Ramalho, 2014. Tree species used for nesting by stingless bees (Hymenoptera: Apidae: Meliponini) in the Atlantic Rain Forest (Brazil): Availability or Selectivity. Sociobiology 61: 415-422. doi: https://doi.org/10.13102/sociobiology.v61i4.415-422.

Silva, M.D., M. Ramalho & D. Monteiro, 2013. Diversity and habitat use by stingless bees (Apidae) in the Brazilian Atlantic Forest. Apidologie 44: 699-707. doi: http://doi.org/10.1007/s13592-013-0218-5.

Siqueira, E.L., R.B. Martines & F.H. Nogueira-Ferreira, 2007. Ninhos de Abelhas Sem Ferrão (Hymenoptera, Meliponina) em uma região do rio Araguari, Araguari-MG. Bioscience Journal, 23: 134-140.

Slaa, E.J., 2006. Population dynamics of a stingless bee community in the seasonal dry lowlands of Costa Rica. Insectes Sociaux. 53: 70-79. doi: http://doi.org/10.1007/s00040-005-0837-6.

Souza, C.S., 2014. Riqueza, abundância relativa e densidade de ninhos de meliponíneos (Apidae, meliponini) em duas áreas de estágios sucessionais distintos de vegetação do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo (23°38’S; 46°38’36W). Dissertação (Mestrado em ciências - Ecologia). Departamento de ecologia - Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. 83 f.

Souza, S.G.X., A.F.R. Teixeira, E.L. Neves & A.M.C. Melo, 2005. As abelhas sem ferrão (Apidae: Meliponina) residentes no Campus Federação/Ondina da Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil. Candombá - Revista Virtual, 1: 57-69.

Taura, H.M. & S. Laroca, 1991. Abelhas altamente sociais (Apidae) de uma área restrita em Curitiba (Brasil): Distribuição dos ninhos e abundância relativa. Acta Biológica, 20: 85-101.

Teixeira, A.F.R., 2001. Abelhas indígenas (Hymenoptera: Meliponini) residentes em uma área de caatinga na margem esquerda do Rio São Francisco, Ibiraba, Barra, Bahia. 2001. Monografia (Bacharelado em Ciências Biológicas) - Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA. 42 f.

Velthuis, H.W., 1997. Biologia das abelhas sociais sem ferrão. São Paulo, EDUSP. 33p.

Wille, A. & C.D. Michener, 1973. The nest architecture of stingless bee with special reference to those of Costa Rica (Hymenoptera: Apidae). Revista de Biologia Tropical, 21: 1-278.

Witter, S., 2009. Abelhas sem ferrão no Rio Grande do Sul: distribuição geográfica, árvores importantes para nidificação e sustentabilidade regional. Mensagem Doce, 100: 46-49.




DOI: http://dx.doi.org/10.12741/ebrasilis.v9i3.613

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Autores e EntomoBrasilis

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2017, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES