Onde os mais Adaptados Permanecem: Comunidade de Abelhas sem Ferrão (Hymenoptera: Apidae, Meliponini) em Áreas Urbanas do Município de Ubá, Minas Gerais, Brasil

Gustavo Júnior Araújo, Yasmine Antonini, Luíza Santos Silva, Georgina Maria Faria-Mucci

Resumo


A urbanização tem causado a fragmentação de vários ambientes naturais, levando à perda de muitos processos ecológicos como a polinização, realizada principalmente por abelhas, em especial as espécies de Meliponini, que tem reduzido drasticamente as suas populações devido à perda de habitat pela expansão urbana. O objetivo deste estudo foi realizar um levantamento das espécies de abelhas sem ferrão em áreas urbanas do município de Ubá - MG, Brasil, relacionar a riqueza e abundância das espécies encontradas com a taxa de ocupação das variáveis estruturais da paisagem das áreas urbana e relacionar a presença das espécies obtidos com estas variáveis. Foram encontrados 28 ninhos pertencentes a quatro espécies, Tetragonisca angustula (Latreille), Trigona spinipes (Fabricius), Nannotrigona testaceicornis (Lepeletier) e Friesella schrottkyi (Friese). Não houve relação significativa entre a riqueza e abundância de Meliponini e variáveis estruturais de vegetação analisadas, possivelmente devido a valores baixos no número de ninhos e espécies encontrados. Somente T. spinipes se mostrou relacionada com a presença de vegetação. Os resultados mostram que a comunidade Meliponini é composta por espécies generalistas capazes de utilizar cavidades artificiais e plantas ornamentais como uma fonte alternativa de recursos, comuns em áreas urbanas. Os resultados obtidos neste estudo servem de alerta para atuais condições dos remanescentes vegetais em áreas urbanas na cidade de Ubá, além de também poderem ser usados como material de apoio na tomada de decisão sobre projetos de conservação e recuperação de áreas degradadas, tendo como foco sobre as abelhas e sua importância para a sustentabilidade destes ecossistemas.

Where the most Adapted Remain: Stingless Bees Community (Hymenoptera: Apidae, Meliponini) in Urban Areas of the City of Uba, Minas Gerais, Brazil

Abstract. The urbanization has caused the fragmentation of various natural environments, taking to loss of many ecological processes in which includes pollination, realized mainly by bees, in special Meliponini species, which has drastically reduced their populations due to loss of habitat for urban expansion. The aim of this study was to survey the species of stingless bees in urban areas of the municipality of Ubá - MG, Brazil, relate the richness and abundance of species found with the percentage of occupation of the structural variables of the urban landscape and relate the presence of the species obtained with these variables. Were found 28 nests belonging to four species, Tetragonisca angustula (Latreille), Trigona spinipes (Fabricius), Nannotrigona testaceicornis (Lepeletier) and Friesella schrottkyi (Friese). There was no significant relationship between richness and abundance of Meliponini and structural variables of vegetation, possibly due to low values in the number of nests and species obtained. Only T. spinipes showed related to the presence of vegetation. The results show that the Meliponini community is composed by generalist species able to use artificial cavities and ornamental plants as an alternative source of resources, common in urban areas. The results obtained in this study is a warning to current conditions of the plant remaining in urban areas in the city of Ubá, besides may also be used as support in taking-decision on projects for the conservation and recovery of degraded areas, focusing on bees and their importance to the sustainability of these ecosystems.


Palavras-chave


Mata Atlântica; Conservação; Nidificação; Polinização; urbanização; Atlantic forest; Conservation; Nesting; Pollination; urbanization

Texto completo:

PDF

Referências


Aidar, I.F., A.O.R. Santos, B.F. Bartelli, G.A. Martins & F.H. Nogueira-Ferreira, 2013. Nesting ecology of stingless bees (Hymenoptera, Meliponina) in urban areas: the importance of afforestation. Bioscience Journal, 29: 1361-1369.

Antonini, Y., R.P. Martins, L.M. Aguiar & R.D. Loyola, 2012. Richness, composition and trophic niche of stingless bee assemblages in urban forest remnants. Urban Ecosystems 16: 527-541. doi: http://doi.org/10.1007/s11252-012-0281-0.

Araújo, G.A. & Y. Antonini, 2016. Hotéis na floresta. Ciência Hoje on-line, 336: . [Acesso em 03.vi.2016].

Carvalho, C.L. & L.C. Marchini, 1999. Abundância de ninhos de Meliponinae (Hymenoptera: Apidae) em biótopo urbano no município de Piracicaba-SP. Revista de Agricultura, 74: 35-44.

Costanza, R., R. D’Arge, R., R. Groot, S. Farber, M. Grasso, B. Hannon, K. Limburg, S. Naeem, R.V. O’Neill, J. Paruelo & R.G. Raskin, P. Sutton & M. van den Belt, 1997. The value of the world’s ecosystem services and natural capital. Nature, 387, 253-260.

Gonçalves, R.B. & C.R.F. Brandão, 2008. Diversity of bees (Hymenoptera, Apidae) along a latitudinal gradient in the Atlantic Forest. Biota Neotropica, 8: 51-61.

IBGE, 2010. Disponível em . [Acesso em: 09.iii.2012].

Imperatriz-Fonseca, V.L. & A.M.P. Kleinert, 1998. Worker reproduction in the stingless bee species Friesella schrottkyi (Hymenoptera: Apidae: Meliponinae). Entomologia Generalis, 23: 169-175. doi: http://doi.org/10.1127/entom.gen/23/1998/169.

Imperatriz-Fonseca, V.L., A. Kleinert-Goivannini, M. Cortopassi-Laurino & M. Ramalho, 1984. Hábito de coleta de Tetragonisca angustula angustula Latreille (Apidae, Meliponinae). Boletim de Zoologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, 8: 115-131.

Johnson, L.K. & S.P. Hubbell, 1974. Aggression and competition among stingless bees: field studies. Ecology, 55: 120-127.

Kearns, C.A., D.W. Inouye & N.M. Waser, 1998. Endangered mutualisms: The conservation of plant–pollinator interactions, Annual Review of Ecology and Systematics, 29: 83-112. doi: http://doi.org/10.2307/1934624.

Kerr, W.E., 1994. Communication among Melipona workers (Hymenoptera: Apidae). Journal Insect Behavior, 7: 123-128.

Kerr, W.E., G.A. Carvalho & V.A. Nascimento, 1996. Abelha uruçu: Biologia, Manejo e Conservação. Belo Horizonte, Acangau, 144 p.

Kerr, W.E., G.A. Carvalho, A.C. Silva & M.G.P. Assis, 2001. Aspectos pouco mencionados da biodiversidade amazônica. Parcerias Estratégicas, 6: 20-41.

Lewinsohn, T.M. & P.I. Prado, 2002. Biodiversidade brasileira: síntese do estado atual do conhecimento. São Paulo, Contexto, 176 p.

Macedo, J.F. & R.P. Martins, 1999. A estrutura de abelhas e vespas visitantes florais de Waltheria americana L. (Sterculiaceae). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, 28: 617-633.

Martins, S.V., 2001. Recuperação de Matas Ciliares. Viçosa - MG, Aprenda Fácil, 143 p.

McGregor, S.E., 1976. Insect Pollination of Cultivated Crop Plants, Washington, D.C., US Department of Agriculture, 849 p.

Mendonça, L.B. & L. Anjos, 2005. Beija-flores (Aves, Trochilidae) e seus recursos florais em uma área urbana do Sul do Brasil. Revista Brasileira de Zoologia 22: 51-59. doi: http://doi.org/10.1590/s0101-81752005000100007.

Morellato, L.P.C & C.F.B. Haddad, 2000. Introduction: the Brazilian Atlantic Forest. Biotropica, 32: 786-792.

Myers, N., R. Mittermeier, C.G. Mittermeier, G. Fonseca & J. Kent, 2000. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, 403: 853-858.

Nogueira-Neto, P., 1970. A criação de abelhas indígenas sem ferrão (Meliponinae). Editora Chácaras e Quintais, São Paulo, Brasil, 2ed., 365 p.

Nogueira-Neto, P., 1997. Vida e criação de abelhas indígenas sem ferrão. São Paulo, Nogueirapis, 447 p.

Oliveira, A.E.A., M.R. Silva, N.A. Moura & M.S.M. Pinheiro, 2013. Levantamento da ocorrência de Meliponídeos em municípios na região do vale do Jauru – MT. Revista de Biologia e Ciência da Terra, 13: 19-27.

Piva, L.F., 1994. Estratégias de forrageamento de Tetragonisca angustula (Apidae, Meliponinae) numa área de cerrado. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 76 f.

R Development Core Team, 2013 R: A language and environment for statistical computing. Version 2.13. Disponível em .

Ribeiro, M.F., F. Rodrigues & N.S. Fernandes, 2009. Ocorrência de Ninhos de Abelhas sem Ferrão (Hymenoptera, Apoidea) em Centros Urbanos e Áreas Rurais do Pólo Petrolina (PE) - Juazeiro (BA). Revista Brasileira de Agroecologia 4: 4456-4460.

Roubik, D.W., 1992. Ecology and Natural History of Tropical Bees. Cambridge, Cambridge University Press, 514 p.

Roubik, D.W., 1995. Pollination of Cultivated Plants in the Tropics, Food and Agriculture Organization of the United Nations, Bulletin, Rome, Italy. 118 p.

Silveira, F.A., G.A.R. Melo & E.A.B. Almeida, 2002. Abelhas brasileiras: Sistemática e Identificação. Belo Horizonte, Fundação Araucária, 253 p.

Souza, L.A., T.O. Pereira, F. Prezoto & G.M. Faria-Mucci, 2002. Nest foundation and diversity of Meliponini (hymenoptera, Apidae) in an urban area of the municipality of Juiz de Fora, MG Brazil. Bioscience Journal, 18: 59-65.

Souza, S.G.X., A.F.R Xavier, E.L. Neves & A.M.C. Melo, 2005. As abelhas sem ferrão (Apidae; Meliponina) residentes no Campus Federação/Residentes Ondina da Universidade Federal da Bahia, Bahia, Brasil, Candombá - Revista Virtual, 1: 57-69.

Strieder, M.N., L.H. Ronchi, C. Stenert. R.T. Schierer & U.G. Neiss, 2006. Medidas biológicas e índices de qualidade da água de uma microbacia com poluição urbana e de curtumes no Sul do Brasil. Acta Biológica Leopoldensia, 28:17-24.

Werneck, H.A. & G.M. Faria-Mucci, 2014. Abelhas sem Ferrão (Hymenoptera: Apidae, Meliponini) da Estação Ecológica de Água Limpa, Cataguases- MG, Brasil. EntomoBrasilis, 7: 164-166. doi: http://doi.org/10.12741/ebrasilis.v7i2.408.

Witter, S. & B. Blochtein, 2003. Efeito da polinização por abelhas e outros insetos na produção de sementes de cebola. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 38: 1399-1407. doi: http://doi.org/10.1590/s0100-204x2003001200006.

Zanette, L.R.S., R.P. Martins & S.P. Ribeiro, 2005. Effects of urbanization on Neotropical wasp and bee assemblages in a Brazilian metropolis. Landscape and Urban Planning, 71: 105-121. doi: http://doi.org/10.1016/j.landurbplan.2004.02.003.




DOI: http://dx.doi.org/10.12741/ebrasilis.v9i3.640

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Autores e EntomoBrasilis

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2017, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES