Termorregulação em colônias de Melipona eburnea (Apidae: Meliponina) criadas racionalmente em Rio Branco, Acre

Francisco Cildomar da Silva Correia, Rui Carlos Peruquetti, Marcos Gonçalves Ferreira

Resumo


Resumo. A temperatura é o agente climático que afeta mais diretamente o metabolismo das abelhas, influenciando no desenvolvimento das crias, podendo acarretar resultados negativos para produção de mel. O objetivo deste estudo foi conhecer a diferença da termorregulação de colônias de Melipona eburnea Friese. As observações foram realizadas en­tre 09 de junho e 09 de julho de 2016, 24 horas por dia, utilizando-se dois ninhos de M. eburnea, um em caixa racional e outro em troncode árvore. Utilizou-se Data Logger(modelo HOBO U12 – 012), com exatidão de ±0,35 °C. Verificou-se que o ninho de M. eburnea em oco de árvore manteve uma temperatura média de 31,7 ºC, enquanto que o ninho em caixa racional apresentou temperatura média de 27,8 ºC. A temperatura ambiente variou de 16,6 a 34,2 °C, com média de 23,8 ºC. A espécie M. eburnea em caixa racional apresentou termorregulação inferior à colônia em oco de árvore e também maior oscilação de temperatura. Concluiu-se que M. eburnea mantém sua colônia em homeostase, mesmo quando há variações na temperatura ambiente (ninho em oco de árvore). M. eburnea apresentou termorregulação insatisfatória, quando mantida em caixa racional.

Thermoregulation in colonies of Melipona eburnea Friese(Apidae: Meliponina) rationally bred in Rio Branco, Acre

Abstract. Temperature is the climatic agent that most directly affects the metabolism of bees, influencing at the development of the young being able lead to negative results for honey production. The objective of this study was to know the difference of thermoregulation of Melipona eburnea Friese colonies. The observations were made between June 9 and July 9, 2016, 24 hours a day, using two nests of M. eburnea, one in rational box and the other in tree trunk. Was used Data Logger (model HOBO U12-012) was used, with accuracy of ± 0.35 °C. Was verified that the nest of M. eburnea in tree hollow maintained an average temperature of 31.7 ºC, whereas the that nest in rational box presented average temperature of 27.8 ºC. The ambient temperature ranged from 16.6 to 34.2 ºC, with a mean of 23.8 °C. The species M. eburnea in rational box presented inferior thermoregulation to the colony in tree hollow and also greater temperature oscillation. It was concluded that M. eburnea maintains its colony in homeostasis, even when there are variations in the ambient temperature (nest in hollow tree). M. eburnea presented unsatisfactory thermoregulation when kept in rational box.


Palavras-chave


Abelha sem ferrão; Meliponicultura; Microambiente; Termorregulação; Meliponiculture; Microenvironment; Stingless bees; Thermoregulation

Texto completo:

PDF

Referências


Becker, T., 2014. Desenvolvimento de colmeias de abelhas Melipona interrupta Latreille, 1811 (Hymenoptera: Meliponini) sob diferentes temperaturas em condições de laboratório. Dissertação (Mestrado em Entomologia) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, AM. 82 f.

Correia, F.C.S., M.B. Cordeiro, Y.K. Carvalho & R.C. Peruquetti, 2015. Conforto térmico em colônias de Tetragonisca weyrauchi no município de Rio Branco-Acre. Arquivos de Ciências Veterinárias e Zoologia da UNIPAR, 18: 237-240. DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v18i4.2015.5750.

Dantas, M.R.T., 2016. Thermogenesis in stingless bees: an approach with emphasis on brood's thermal contribution. Journal of Animal Behaviour and Biometeorology, 4: 101-108. DOI: https://doi.org/10.14269/2318-1265/jabb.v4n4p101-108.

Domingos, H.G.T. & L.S. Gonçalves, 2014. Termorregulação de abelhas com ênfase em Apis melífera. Acta Veterinaria Brasilica, 8: 151-154. DOI: https://doi.org/10.21708/avb.2014.8.3.3491.

Esch, H., 1960. Über die Körpertemperaturen und den Wärmehaushalt von Apis mellifera. Journal of Comparative Physiology, 43: 305-335.

Halcroft, M., R. Spooner-Hart & L. Dollin, 2013. A. Australian stingless bees. p. 35-72. In: Vit, P., S.R.M. Pedro & D.W. Roubik (Eds). Pot Honey: A Legacy of Stingless Bees. Springer Verlag; Berlin, Germany. XXVIII 654 p.

Heinrich, B., 1979. Keeping a cool head: Honeybee thermoregulation. Science, 205: 1269-1271. DOI: https://doi.org/10.1126/science.205.4412.1269.

Jones, J.C. & B.P. Oldroyd, 2007. Nest Thermoregulation in Social Insects. Advances in Insect Physiology. San Diego, 33: 153-191. DOI: https://doi.org/10.1016/s0065-2806(06)33003-2.

Jones, J.C., P. Helliwell, M. Beekman, R. Maleszka & B.P. Oldroyd, 2005. The effects of rearing temperature on developmental stability and learning and memory in the honey bee, Apis mellifera. Journal of Comparative Physiology, 191: 1121-1129. DOI: https://doi.org/10.1007/s00359-005-0035-z.

Kerr, W.K., G.A. Carvalho & V.A. Nascimento, 1996. Abelha uruçu: biologia, manejo e conservação. 2ed. Coleção manejo da vida silvestre. Belo Horizonte, Fundação Acangaú, 154 p.

Köppen, W., 1931. Grundriss der Klimakunde. Berlin: Walter de Gruyter, 390 p.

Lindauer, M., 1955. The water economy and temperature regulation of the honeybee colony. Bee World, 64: 62-72. DOI: https://doi.org/10.1080/0005772x.1955.11094876.

Loli, D., 2008. Termorregulação colonial e energética individual em abelhas sem ferrão Melipona quadrifasciata Lepeletier (Hymenoptera, Apidae, Meliponini). Tese (Doutorado em Ciências) - Departamento de Fisiologia, Instituto de Biociência da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 228 f.

Lopes, M.T.R., A.L. Barbosa, J.M. Vieira-Neto, F.M. Pereira, R.C.R. Camargo, V.Q. Ribeiro & R.S. ROCHA, 2009. Desenvolvimento e qualidade do mel de abelhas Apis melífera instaladas sob diferentes condições de sombreamento. Teresina: Embrapa Meio-Norte, 26 p.

Macías-Macías, J.O., J.J.G. Quezada-Euán, F. Contreras-Escareño, J.M. Tapia-Gonzalez, H. Moo-Valle & R. Ayala, 2011. Comparative temperature tolerance in stingless bee species from tropical highlands and lowlands of Mexico and implications for their conservation (Hymenoptera: Apidae: Meliponini). Apidologie, 42: 679-689. DOI: https://doi.org/10.1007/s13592-011-0074-0.

Magalhães, T.L. & G.C. Venturieri, 2010. Aspectos econômicos da criação de abelhas indígenas sem ferrão (Apidae: Meliponini) no nordeste paraense. Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental. Embrapa Amazônia Oriental. Documentos 364. 36 p.

Moyes, C.D. & P.M. Schulte, 2010. Princípios da fisiologia animal. 2ed. Rio Grande do Sul: Artmed, 757 p.

Ocko, A.S. & L. Mahadevan, 2013. Collective thermoregulation in bee clusters. Journal Royal Society, 11: 10-33. DOI: https://doi.org/10.1098/rsif.2013.1033.

Penha, R.M., 1996. O distrito industrial-DIRB-no contexto socio-ambiental da cidade de Rio Branco e do Estado do Acre. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Urbano) - Universidade Federal de Santa Catarina UFSC, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Florianópolis, SC. 193 f.

R Development Core Team, 2013. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. Disponível em: .

Ramalho, M., V.L. Imperatriz-Fonseca & A. Kleinert-Giovannini, 1991. Ecologia nutricional de abelhas sociais. p. 225-252. In: Panizzi, A.R. & J.R.P. Parra (Eds.). Ecologia nutricional de insetos e suas implicações no manejo de pragas. São Paulo, Manole Ltda, 359 p.

Roldão, Y.S., 2011. Termorregulação colonial e a influência da temperatura no desenvolvimento da cria em abelhas sem ferrão, Melipona scutellaris (Hymenoptera, Apidae, Meliponini). Dissertação (Mestrado em Entomologia) - Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP. 107 f.

Silva, R.G., 2000. Introdução à Bioclimatologia Animal. Nobel, São Paulo, 286p.

Switanek, M., K. Crailsheim, H. Truhetz & R. Brodschneider, 2017. Modelling seasonal effects of temperature and precipitation on honey bee winter mortality in a temperate climate. Science of the Total Environment, 579: 1581-1587. DOI: https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2016.11.178.

Vollet-Neto, A., C. Menezes & V.L. Imperatriz-Fonseca, 2009. Aquecimento de colmeias de abelhas sem ferrão: vale a pena? Mensagem Doce, 103: 16-20.

Waldt, P.G.S., 2002. Manejo de solos ácidos do estado do Acre: Rio Branco. Embrapa Acre. 28 p.

Züge, P.V. & D.S. Aidar, 2000. Colmeias Térmicas Züge-Aidar para meliponíneos (Hymenoptara, Apidae, Meliponinae). Mensagem Doce, 57: 27-29. Disponível em: .




DOI: http://dx.doi.org/10.12741/ebrasilis.v10i2.705

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Autores e EntomoBrasilis

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2017, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES