As variações na comunidade de Odonata (Insecta) em córregos podem ser explicadas pelo Paradoxo do Plâncton? Explicando a riqueza de espécies pela variabilidade ambiental

José Max Barbosa Oliveira Junior, Helena Soares Ramos Cabette, Nelson Silva Pinto, Leandro Juen

Resumo


A teoria do Paradoxo do Plâncton postula que ambientes que apresentam flutuações temporais periódicas apresentariam alta diversidade de espécie, uma vez que essas flutuações impediriam a ocorrência da exclusão competitiva. Este trabalho teve como objetivo avaliar a variação da comunidade de Odonata adulto na Bacia do Rio Suiá-Miçú, testando a hipótese de que locais que apresentam variáveis ambientais com maiores amplitudes de variação possuiriam maiores riquezas de espécies. Foram amostrados 11 corpos d´água, em uma área de transição Cerrado-Floresta Amazônica na região centro-leste do estado de Mato Grosso, Brasil. As variáveis ambientais avaliadas foram integridade ambiental (HII) e amplitude de variação do pH, condutividade, temperatura do ar, temperatura da água, oxigênio dissolvido, amônia, fósforo e Mg+. Foram coletados 2.144 espécimes, distribuídos em oito famílias, 41 gêneros e 78 espécies. Nossa hipótese não foi corroborada, uma vez que a regressão múltipla entre a riqueza estimada de espécie de Anisoptera e Zygoptera e a amplitude de variação dos fatores físico-químicos não foi significativa para nenhuma das variáveis analisadas, assim como para o HII. Nossos resultados sugerem que as variações na comunidade de Odonata em córregos não podem ser explicadas pelo Paradoxo do Plâncton. Acreditamos que este resultado pode ter ocorrido principalmente devido às baixas variações nas condições ambientais analisadas, ação de outros processos locais, como a competição e predação, ou por diferenças ecofisiológicas, resultado da variação de tamanho corporal e da capacidade de termorregulação dos adultos na ordem estudada.


Variations in Odonata (Insecta) Community in Streams may be Predicted by the Plankton Paradox? Explaining Species Richness by Environmental Variability


Abstract. The theory of Plankton Paradox postulates that environments that exhibit regular temporal fluctuations would present a high diversity of species, since such fluctuations would prevent the occurrence of competitive exclusion. This work aimed evaluate variations in adult Odonata community in catchment of River Suiá-Miçú, testing the hypothesis that sites with environmental variables with the largest amplitude of variation would present the highest species richness. Were sampled 11 water bodies in an area of transition Cerrado-Amazon Forest in east-central Mato Grosso state, Brazil. Environmental variables evaluated were: environmental integrity (HII) and range of variation of pH, conductivity, air temperature, water temperature, dissolved oxygen, ammonia, phosphorus and Mg+. Were collected 2.144 specimens, distributed in eight families, 41 genera and 78 species. Our hypothesis was not confirmed, since the multiple regression analysis performed between the estimated kind of richness Anisoptera and Zygoptera with range of variation of physical-chemical was not significant for any of the eight variables, as well as for HII. Our results suggest that variations in the community of Odonata in streams cannot be explained by Plankton Paradox. We believe that this result may have occurred due mainly to the low variations in environmental conditions discussed, action of other local processes such as competition and predation or differences ecophysiological result of body size variation and capacity of thermoregulation in the order of the adults studied.


Palavras-chave


Anisoptera; Heterogeneidade ambiental; Riqueza; Variáveis abióticas; Zygoptera; Abiotic variables; Anisoptera; Heterogeneity environmental; Richness; Zygoptera

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2018, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 - Prefixo doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES

Apoio