Aumento da Sobrevivência de Aedes (Stegomyia) aegypti (Linnaeus), em Condições de Laboratório, pela Ingestão de Néctar Extrafloral de Euphorbia milii Des Moul. (Euphorbiaceae)

Nathalia Cavichiolli de Oliveira, Antonio Pancracio de Souza

Resumo


O objetivo deste estudo foi determinar em laboratório se Aedes (Stegomyia) aegypti (L.), importante vetor da dengue e febre amarela, alimenta-se do néctar de Euphorbia milii Des Moul (Euphorbiaceae) , planta comumente utilizada nos domicílios como cerca viva, e avaliar o efeito desta alimentação em sua sobrevivência. O tempo de vida de ambos os sexos foi acompanhado diariamente e um teste de detecção de frutose foi utilizado para a comprovação da ingestão de açúcar pelos mosquitos. O acesso diário ao néctar conferiu um aumento significativo no tempo de vida de machos e fêmeas (12,8 e 18,4 dias, respectivamente), em relação aos mosquitos mantidos somente com água (6,4 e 7,4 dias, respectivamente). Plantas em ambientes domésticos, produtoras de néctar e adequadas à alimentação do mesmo pelos mosquitos, assim como E. milii, possuem o potencial de desempenhar um significativo papel no orçamento energético de mosquitos. Um aumento na sobrevivência de fêmeas pode significar um aumento na probabilidade de infecção e transmissão de agentes patogênicos e nos machos um aumento na probabilidade de inseminação das fêmeas. Ainda que frequentemente desconsiderada em pesquisas ou táticas de controle, a propensão do mosquito Ae. aegypti em ingerir açúcares pode ser uma variável que confira vantagens a este vetor.


Increases Survival of Aedes (Stegomyia) aegypti (Linnaeus) Under Laboratory Condition by the Ingestion Extrafloral Nectar of Euphorbia milii Des Moul. (Euphorbiaceae)


Abstract. The objective this study was to determine if in laboratory, Aedes (Stegomyia) aegypti (L.), an important vector of dengue and yellow fever, feeds on the nectar of Euphorbia milii Des Moul (Euphorbiaceae) , plant commonly used in homes as a hedge, and evaluate the effect of feeding on survival. The lifetime of both sexes was checked daily and a test for fructose was used for verification of sugar intake by mosquitoes. The daily access to the nectar gave a significant increase in the lifetime of males and females (12.8 and 18.4 days, respectively) in relation to mosquitoes maintained only with water (6.4 and 7.4 days, respectively). Plants in domestic environments, producing nectar and suitable for feeding by mosquitoes of the same, as well as E. milii, have the potential to play a significant role in the energy budget of mosquitoes. An increase in the survival of females can mean an increased likelihood of infection and disease transmission in males and an increased likelihood of insemination of females. Although often overlooked in research and control tactics, the propensity of the mosquito Ae. aegypti ingesting sugars can be a variable that confers advantages to this vector.


Palavras-chave


Ecologia de Vetores; Mosquito; Néctar; Mosquito; Nectar; Vector ecology

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



|    Licença de Uso    |     Normas para publicação (PDF)   |    Projeto do Periódico   |   Política de Privacidade    |    Currículo Lattes (Busca)    |   Scielo     |     Títulos de Periódicos ligados à Entomologia e suas Abreviações     |      Ortografa!

Indexadores:

Latindex   |   SEER/IBICT     |    Dialnet     |    Agrobase - Literatura Agrícola     |   Sumários de Revistas Brasileiras     |     DOAJ     |    CABI Abstracts     |    LivRe!       |   RCAAP   |    Diadorim    |    Electronic Journals Library   | Eletronic Journals Index  |   Fonte Acadêmica - EBSCO  |   ZooBank    |   Zoological Records    |   Agro Unitau    |    BASE (Bielfield Academic Search Engine)     

Outras fontes:

   WorldCat    |     Mendeley     |     Google Acadêmico    |    Qualis CAPES 

Copyright © 2008-2018, Entomologistas do Brasil

As opiniões técnico/científicas e mesmo pessoais, constantes nos artigos e comunicações científicas publicados no EntomoBrasilis são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

 

EntomoBrasilis. ISSN Online 1983-0572 - Prefixo doi: 10.12741

 

 Site hospedado gratuitamente no HostingZone

Fazemos parte da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos)

Filiado ao Portal de Periódicos CAPES

Apoio